O valor do Parapan-americano

Por Lucas de Moraes

No último sábado (19/08/2015), houve a cerimônia de encerramento do Parapan-americano em Toronto. Os atletas brasileiros conseguiram bater a marca de melhor aproveitamento em uma edição da competição. O recorde antigo era do México (33%), um pouco menor que o novo (34,3%). A delegação brasileira conseguiu 109 medalhas de ouro, 74 de prata e 74 de bronze, totalizando 257 medalhas. Daniel Dias, nadador brasileiro paralímpico, foi um dos destaques com oito medalhas de ouro.

Daniel Dias ganhou todas as 27 competições em que disputou no Parapan. Créditos : Washington Alves/MPIX/CPB

Daniel Dias ganhou todas as 27 competições em que disputou no Parapan. Créditos: Washington Alves/MPIX/CPB

A cobertura midiática da competição sul-americana não recebeu o tanto de destaque que os atletas merecem. Além de ser um torneio um pouco desprezado, há a questão de envolver paratletas, pessoas que são um pouco excluídas da nossa sociedade (pelo menos aqui no Brasil). Então o desempenho fantástico dos atletas brasileiros pode ajudar na maior divulgação dos esportes para paratletas, devido ao maior interesse das pessoas pelo assunto. Isso é muito benéfico, tendo em vista que, a partir desses acontecimentos, mais investimentos poderão ser aplicados para melhorar a infraestrutura e para incentivar pessoas portadoras de necessidades especiais (PNE) a buscar algum esporte de seu interesse.

Outro ponto a se analisar é a necessidade de investimentos governamentais para os PNE. As cidades brasileiras pecam tanto na infraestrutura quanto no auxílio a essas pessoas. Brasília, capital do Brasil, tem muitos problemas: existem muitas calçadas com piso irregular dificultando a locomoção de cadeirantes, faltam informações em Braille para os deficientes visuais, muitos ônibus não possuem o sistema para transportar cadeirantes e muitos outros. Em relação ao auxílio, a maioria dos deficientes brasileiros em idade ativa não trabalha de acordo com o IBGE.

Espera-se que o esporte possa mostrar ao Brasil o valor dos deficientes e que eles possam ser incluídos em nossa sociedade. Ficaremos de olho nas Paraolimpíadas e torceremos para que nossos atletas consigam resultados incríveis para que, assim, um dia, quem sabe, possamos perceber a superação dos PNE do mesmo modo que vemos a de atletas sem deficiência.

Foto: Comitê Paralímpico Brasileiro

Publicidade

2 comentários sobre “O valor do Parapan-americano

  1. lucascvidigal disse:

    que legal ver um texto sobre o Parapan no SOS! eu escrevi um sobre o Pan de Guadalajara para o blog de vcs, quando fazia parte do grupo.

    legal ler que tem gente na FAC apoiando o esporte do jeito mais correto. eu acho que essa coisa do investimento governamental é bem discutível, mas só de o autor ter colocado em questão é ótimo!

    (e PNE: pessoa com necessidade especial. posso estar enganado, mas o termo “portador” é errado, segundo os próprios PNE)

    parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

    • lucasmol95 disse:

      Obrigado pelo feedbacdk, Lucas. Essa é uma discussão muito mais profunda do que o que foi abordado no texto. E realmente desconheço a discussão sobre o termo correto na sigla PNE. Vou tentar descobrir. Agradeço novamente.
      Lucas de Moraes

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s