Fonte: Divulgação 1º Encontro de Negócios Multissetorial

Jornalismo e novas tecnologias

Por Marília Nestor

É difícil passar um dia no meio de jornalistas e não ouvir falar de crise. Nem digo só em relação à economia ou aos passaralhos quase periódicos, em redações, na academia, em comitês e portarias se ouve da crise por causa das mudanças no jornalismo causadas pelo avanço frenético das tecnologias, venha ele em forma de aplicativo ou de software. Contudo, pouco se busca o conhecimento, pouco chega ao aprendizado técnico dos jornalistas e pouco se busca estar à frente. É quase como se os jornais não estivessem preparados para lidar com seu objeto ‘novidade’ quando ele é posto em outra perspectiva.

Contratar um estagiário para fazer mídias sociais sem ter um plano estratégico profissional para as postagens não é bom para ninguém. O estagiário pouco aprende, o editor fica sem saber o que fazer e o chefe de redação não consegue entender como outro jornal com posts das mesmas notícias tem muito mais seguidores. Além disso, a rápida repercussão de um post mal pensado ou a falta dela devido ao horário não planejado fazem  empresas perder clientes e consumidores em potencial. Ainda mais as de jornalismo, que precisam competir até com sites de notícia falsa.

É muito grave grandes redações brasileiras não saberem o que é VR (realidade virtual) e como isso está afetando o jornalismo. Sempre há um ou outro pioneiro nas tecnologias, mas ainda pouco se ousa na hora de aderir a tecnologias, acreditando que ter uma conta no Snapchat ou fazer um aplicativo seja o suficiente. Ninguém é obrigado a estar em todas as plataformas, lógico. Estar em tudo já pode ser um sinal de falta de planejamento. O importante é conhecer e entender as novas plataformas e tecnologias para escolher em qual estar ou usar e então montar uma estratégia que tenha a ver com a rotina, o meio e os valores do veículo. E, por mais competente que seja, um estagiário não consegue fazer isso.

Existe outro ponto importante: o cidadão comum também é produtor de conteúdo. Hoje qualquer um pode repercutir com comentários e ou eventos quaisqueres no Facebook. Isso ganha força, visto centenas de notícias em sites que surgem de posts de perfis individuais. Também ganham força as lutas contra o preconceito, o machismo, todos construções sociais em que o indivíduo está inserido. Quando falo indivíduo, me refiro também a jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas. Todos estamos nesse contexto, mas é necessário refletir sempre e reforçar periodicamente a maneira de lidar com certos assuntos ou agir em certas situações. Devido à frequência, a naturalização de abusos, mortes e tragédias em certas redações pode ser muito perigosa, por exemplo. A velocidade com que os fatos são transmitidos pode levar a erros cada vez mais graves. O erro não é simplesmente a matéria errada, é o buraco que pode ser deixado na vida de alguém.

Há outra questão fora da tecnologia em si. Não é passado aos jornalistas conhecimentos simples para que possam mandar a notícia mais formatada às plataformas. E pior: ainda querem que a pessoa continue a fazer a mesma quantidade de matérias, mas para várias plataformas diferentes! Acaba sobrecarregando o jornalista, publicando postagens ruins e atraindo detratores. Enquanto isso, poderiam ser usadas plataformas de organização coletiva (reforço: email não está nessa classificação) e ferramentas do empreendedorismo (palavra que dá calafrios a alguns) para ser formulado e passado o aprendizado de maneira mais produtiva.

Claro, não se pode confundir: o produto do jornalismo é a informação bem contada, não o perfis em redes sociais. Mas talvez, para aquela história que vai atingir aquele público, a melhor narrativa com a melhor repercussão seja um vídeo no Snapchat combinado a uma imagem no Instagram e uma nota com gráfico interativo no site. Para saber isso é necessário conhecimento, estratégia e comunicação interna eficiente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s