Ai de ti, Haiti

Por Luiz Martins da Silva

Ai, de nós, que somos parte de ti.

Ai, de ti, Haiti, tu que estás no anel
De noivado e de lua de mel
Entre o furacão e a miséria.

Ai, de nós, carnes das mesmas unhas,
Irmãos xifópagos no sofrimento,
Tributo à chuva e ao vento
Que tanto te querem ao relento.

Oh! Meu irmão do Haiti, ai de nós.
Eu nem me havia anestesiado
De teu último arraso
E se renovam os flagelos.

Ai, de mim, que ligo a tevê
Para saber se o mundo persiste.
E revejo no quanto resistes
Em se repetir em manchetes.

Por ti, meu coração dói,
Tão pródigo em tragédias.
Por que não te fartas de mortos
E de luto sob os escombros?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s