Vegas merece mais que Mogadíscio?

A cobertura midiática dos ataques terroristas acompanha a dimensão das tragédias?

Por Rebeca Borges

O maior ataque terrorista desde o 11 de setembro deixou 358 mortos, 400 feridos e 56 desaparecidos. A tragédia ocorreu há pouco mais de uma semana, em 14 de outubro, quando dois carros-bomba explodiram em regiões movimentadas de Mogadíscio, capital da Somália. Esse é o maior atentado terrorista da história do país. 

Continuar lendo

Anúncios

Somália existia ou acabamos de inventá-la?

Por Filliphi da Costa

O jornalista mais atento aos aspectos da sua formação pode perceber, durante o exercício do ofício, que diversos recursos são dissimulados para mascarar um descompromisso às vezes presente. Uma razão para o uso dessas ferramentas é a manutenção da ociosidade intelectual a que nossa sociedade foi condicionada. Essa é a estratégia para manter sempre vivos os inimigos da cidadania incutidos no imaginário coletivo.

Continuar lendo

Racismo: até quando?

Por Pedro Canguçu 

No sábado (7), a Dove protagonizou uma polêmica nas mídias sociais. Após lançar anúncio do sabonete líquido, a marca de cosméticos que pertence à empresa holandesa multinacional Unilever, foi alvo de críticas por parte de internautas. Eles perceberam uma mensagem preconceituosa na campanha e prometeram deixar de consumir os produtos da linha.

Continuar lendo

Trump racista, mídia conivente

Por Ronayre Nunes, especial para o SOS Imprensa

Por mais que tenha atitudes preconceituosas, Donald Trump, dificilmente, é designado como tal nos meios de comunicação. Dentre os motivos, três se destacam: política de apaziguamento por parte da imprensa, cortina nacionalista abordada por ele e correção por “traço de personalidade” também realizado pelos veículos de comunicação. Tais razões indicam uma complexa estruturação midiática. E, definitivamente, merecem mais atenção social.

Continuar lendo

Arte drag na cena brasileira

Por Larissa Lins e Victor Cesar

Expressão artística que existe há séculos, a arte drag tem ganhado grande destaque midiático ultimamente. O termo drag vem de dressed resembling a girl, que significa “vestido como uma menina” e existem registros do uso do termo desde 1870. Apesar de ser muito presente na militância LGBT+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais etc) nacional — com ícones como Rogéria, Márcia Pantera e Silvetty Montilla –, apenas recentemente a performance passou a ser divulgada de forma positiva em grandes programas de TV, como RuPaul’s Drag Race, da Logo TV, e Amor & Sexo, da Globo.

Continuar lendo

Em tempos de Instagram, cada clique é notícia

Por Melissa Duarte

Talento, aptidão, ensaios. Novelas, séries, filmes, shows, desfiles, dinheiro. Qual a fórmula de sucesso para celebridades? Não é novidade que elas sejam produtos midiáticos e ganhem fama e visibilidade. O trabalho e, mais ainda, a vida pessoal dos artistas geram interesse no público. Flashes, câmeras e fotos são causa e consequência dessa exposição — e as mídias sociais têm papel fundamental nisso. Dessa maneira, não são raras matérias de fofoca sobre eles. Porém, até que ponto podem ser consideradas notícias?

Continuar lendo