Batalha para a vida

Por Natália Fechine

Não se sabe exatamente como as universidades começaram a emanar cultura. Entretanto, com a Ditadura Militar (1964-1985), esses espaços tiveram como representantes estudantes que reivindicavam vontades e frustrações por meio da arte. Eles se tornaram símbolo de resistência contra a opressão e falta de liberdade impostas.

Desde então, a universidade é uma realidade distante para muitos que vivem em periferias e subúrbios brasileiros. Uma das formas encontradas para demonstrar tal fato começou com o rap em São Paulo, por volta de 1980, e se espalhou pelo País. Esse estilo, tido como violento e típico da periferia, surgiu na Jamaica e, quando levado para os Estados Unidos, se expandiu para o mundo.

Agora consolidado no cotidiano da população brasileira, o rap adentra diversos gêneros e cenários musicais. Brasília é o segundo maior mercado desse gênero do Brasil, perde apenas para São Paulo. Diariamente, acontecem mais de 20 batalhas em diversos locais. Isso proporciona maior interação com a comunidade e visibilidade para o estilo que incorpora cada vez mais a cultura local.

Diversos festivais começam a aparecer pela Capital Federal. Em 2014, o encontro do Festival Mamulengo de RAPente se reuniu no Complexo Cultural Funarte Brasília. No entanto, teve início em escolas públicas do DF, com incentivo do rapper RAPadura Xique-Chico e participação de repentistas da Casa do Cantador. Em 2016, foi organizado o Yo Music, o qual trouxe muita música, arte e esporte da cultura de rua em 12 horas de duração. As principais atrações, como Racionais MCs e Cone Crew, se misturaram com rappers da cidade.

A Batalha da Escada acontece às quartas-feiras na Universidade de Brasília (UnB) e proporciona mais uma forma de produção de arte. Mazelas sociais, racismo, violência e cotidiano dos universitários são temas das letras e mostram a identidade deles. A aceitação do público é grande e os estudantes organizaram o evento que reuniu 300 pessoas no Teatro de Arena. As rimas, feitas no improviso, trazem citações, pensamentos e reflexões as quais demandam muito conhecimento e referências. Ao final, o público é quem decide. Adentrar a universidade mostra a importância da representatividade na vida de cada jovem ao se autoafirmar.

O movimento Rap Brasília foi fundado em 2012 e busca difundir o rap na capital com a participação popular. A igualdade se atinge com quebra de preconceitos arraigados na sociedade e mostra que o centro de Brasília tem povo diverso e que luta com suas armas, poesia e ritmo, contra o sistema vigente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s