Mídia e adultização infantil

Por Pollyana Fonseca

O significado de infância foi modificado com o passar dos tempos. Na Idade Média, não havia forte separação entre estágios de vida. Apenas no século XVII, com as ideias de cuidado e dependência, o conceito foi introduzido na sociedade. Porém, mesmo que a concepção da palavra tenha sido alterada, crianças ainda são tratadas como mini-adultos e a mídia tem responsabilidade nisso.

Continuar lendo

Anúncios

De quem é a culpa, afinal?

Por Ana Luisa Araujo

O recente caso da auxiliar administrativa Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, morta na última quarta-feira após dar uma carona combinada em grupo de WhatsApp, tem relevância para a mídia por diversas causas. A imprensa, muitas vezes, se foca no fato de ela ter dividido o trajeto com um desconhecido. Por isso, diversas manchetes tendem a culpabilizá-la pelo crime e comentários das reportagens também seguem essa linha.

Continuar lendo

Amor ou pedofilia? A polêmica relação de Caetano Veloso e Paula Lavigne

Por Melissa Duarte

Que Caetano é um dos maiores cantores e compositores brasileiros, todo mundo sabe. Que lutou contra a Ditadura Militar, também. O que muitas pessoas talvez desconheçam é que o músico começou a namorar e tirou a virgindade da segunda esposa, a produtora cultural Paula Lavigne, quando ela tinha 13 anos e ele, 40. Eles se casaram em 1986, se separaram em 2005 e retomaram o enlace no ano passado. Juntos, tiveram dois filhos: Tom, 20, e Zeca, 25.

Continuar lendo

Vegas merece mais que Mogadíscio?

A cobertura midiática dos ataques terroristas acompanha a dimensão das tragédias?

Por Rebeca Borges

O maior ataque terrorista desde o 11 de setembro deixou 358 mortos, 400 feridos e 56 desaparecidos. A tragédia ocorreu há pouco mais de uma semana, em 14 de outubro, quando dois carros-bomba explodiram em regiões movimentadas de Mogadíscio, capital da Somália. Esse é o maior atentado terrorista da história do país. 

Continuar lendo

Somália existia ou acabamos de inventá-la?

Por Filliphi da Costa

O jornalista mais atento aos aspectos da sua formação pode perceber, durante o exercício do ofício, que diversos recursos são dissimulados para mascarar um descompromisso às vezes presente. Uma razão para o uso dessas ferramentas é a manutenção da ociosidade intelectual a que nossa sociedade foi condicionada. Essa é a estratégia para manter sempre vivos os inimigos da cidadania incutidos no imaginário coletivo.

Continuar lendo

Racismo: até quando?

Por Pedro Canguçu 

No sábado (7), a Dove protagonizou uma polêmica nas mídias sociais. Após lançar anúncio do sabonete líquido, a marca de cosméticos que pertence à empresa holandesa multinacional Unilever, foi alvo de críticas por parte de internautas. Eles perceberam uma mensagem preconceituosa na campanha e prometeram deixar de consumir os produtos da linha.

Continuar lendo

Trump racista, mídia conivente

Por Ronayre Nunes, especial para o SOS Imprensa

Por mais que tenha atitudes preconceituosas, Donald Trump, dificilmente, é designado como tal nos meios de comunicação. Dentre os motivos, três se destacam: política de apaziguamento por parte da imprensa, cortina nacionalista abordada por ele e correção por “traço de personalidade” também realizado pelos veículos de comunicação. Tais razões indicam uma complexa estruturação midiática. E, definitivamente, merecem mais atenção social.

Continuar lendo